DOSES DE PRODUTIVIDADE – XXX
14/12/2015
DOSES DE PRODUTIVIDADE – XXXII
06/01/2016

DOSES DE PRODUTIVIDADE – XXXI

Praticamente, o ano de 2015 terminou. Empresas, escolas, entidades governamentais já entraram em férias ou recesso e o país só retomará suas atividades produtivas após o Carnaval de 2016. 

Férias é uma pausa necessária para quem trabalha ou estuda no mundo inteiro. Existem diferencias do período de descanso em diversos países. Nos Estados Unidos, no Canadá, na Coréia do Sul, na Arábia Saudita, na Argentina e outros, o regime de férias é de duas semanas ou 10 dias úteis por ano. Alemanha e França entre cinco a seis semanas e no Brasil 30 dias. 

Mesmo assim, muitos não desfrutam adequadamente desse momento. O trabalho é importante para a vida humana, mas além do repouso semanal, um período de férias é essencial. 

Cometem o erro de acumular férias de 2 a 3 anos e se orgulham disso. Quando entram em gozo de férias, muitas vezes por imposição das empresas, passam a primeira e segunda semana sem se desligar do trabalho, seja apenas em pensamento ou pela manutenção do correio eletrônico com mensagens do dia-a-dia.  Após alguns dias de relaxamento e diversão, voltam a se preocupar com o trabalho, talvez medo de que se esqueçam dele ou que alguém tome seu lugar; novamente deixa de desfrutar de seu merecido descanso.

Presenciei um esquema interessante de uma família francesa que tirava duas férias de quinze dias por ano; uma no verão e outra no inverno. Como a parte mais estimulante é a preparação das férias – para onde ir, como ir, o que levar – começavam com três meses de antecedência. Depois das férias, a curtição das fotos, filmes e episódios marcantes consumiam os próximos três meses e novo ciclo se iniciava. 

Para manter uma atividade produtiva de trabalho e descanso, o ideal seria tirar uma semana de férias a cada três meses. Desliga-se do trabalho mais rápido e retorna à labuta mais rápido também. 

Importante dose produtiva é o trabalho de planejamento, delegação, e encerramento das atividades importantes antes de se ausentar. Não custa lembrar que as tarefas não tiram férias junto; elas se acumulam. 

No prefácio do livro O Trabalho – Mais Resultados com Menos Esforço – trato do karoshi – termo cunhado pelos japoneses significando “morte por excesso de trabalho”. As autoridades japonesas, diante da alarmante epidemia de exaustão fatal, que levava vários executivos, ainda jovens, a caírem mortos em suas mesas, em decorrência das exaustivas agendas de trabalho, publicaram uma lista dos sinais principais que levam à karoshi. Entre elas está o trabalho em situações de alta pressão, sem intervalos; trabalho durante horas prolongadas, que interrompem os ciclos normais de descanso; trabalho sem tirar tempo para feriados e outras folgas para relaxamento. 

Manter uma velocidade furiosa e constante viola um dos princípios da saúde e vitalidade: o corpo é uma máquina que funciona mediante um ciclo no qual períodos de atividades são seguidos por períodos de descanso e recuperação.

Você trabalha, fica cansado e descansa; depois, revigorado, retorna a seus afazeres. O equilíbrio é sempre uma boa dose de produtividade. 

Boas Festas!

 

DOSES DE PRODUTIVIDADE