Doses de produtividade

Dispomos de diversas doses de produtividade empresarial, mas, com o atual ambiente político infectante fica difícil isolar empresas e cidadãos decentes dos males que vêm de fora.

 A presidanta continua a mostrar sua incomPTência quando não ataca a causa da crise por ela criada. Quer aumentar impostos sem cortar seus custos para remediar, na verdade postergar, a solução do problema.

 Se ela fosse pelo menos um dona de casa saberia o que fazer quando alguém da família fica desempregado: Corta-se toda e qualquer despesa. Começa pelo supérfluo, depois o importante e até o essencial. O principal reflexo do sacrifício da população é visto nas compras no supermercado; troca produtos alimentícios que consumia por outros mais baratos, compra só para a semana. Roupa nova, só no aniversário e bem simplesinha… Quando reduz o consumo de energia elétrica – que tem tarifas controladas pelo governo – sua conta aumenta por conta da “bandeira vermelha” ou por queda no consumo que não lhes dá receita suficiente.

 Ela continua recebendo orientações do Vírus Lula, cujo intento sob-reptício é manter o pode com a ideologia socialista, fazendo tudo o que não deveria. Como se pode acreditar que alguém causador do desarranjo econômico no país será capaz de corrigi-lo? Sua melhor atitude de grandeza seria a renúncia ou suicídio para escapar do impeachment. Para evitá-lo continua sua sórdida articulação com outros políticos oportunistas para oferecer mais cargos em troca de apoio para continuar afundando o país. 

Vemos debates sobre “saídas para a crise” de pessoas ilustres que contam histórias e comparações com crises anteriores. Não nos importa saber se nossa crise é maior ou menor que outras, precisamos soluções para sair desta. 

É essencial que se cortem drasticamente as despesas diretas ou indiretas do governo, começando com o enxugamento da máquina pública; quem perde receita é obrigado a reduzir gastos.

 Que se privatizem monstrengos inviáveis alimentados por má gestão. Que se expurguem os parasitas. Que se invista em geração de empregos produtivos em infra-estrutura e em empresas capazes de gerar riqueza. Que se dê apoio logístico para escoamento da produção e para a exportação com a redução do “custo Brasil” e eliminação da corrupção.

 O modelo de programas sociais do PT causa benesses para quem não trabalha e sacrifica o trabalhador e as empresas a pagarem a conta. É o famoso “dar o peixe em vez de ensinar a pescar”. Não há estímulo, não há desafio nem perspectivas de dignidade. Em vez de manter a pobreza dever-se-ia dar oportunidade de trabalho honesto e produtivo para saírem da miséria. Com renda todos poderão pagar impostos menos escorchantes, contribuir com o crescimento do país e ter o retorno em educação, saúde, transporte e segurança. Com produtividade os custos baixam, mais pessoas passam a ter acesso a compras, fazer investimentos e poupança com aumento da qualidade de vida sem endividamentos impagáveis.

 O Brasil é abençoado com enormes riquezas naturais, possui um povo alegre, eclético e criativo, mas, anestesiado pelo futebol e novelas não reage nem se preocupa com os rumos políticos e socioeconômicos que aceleram a crise. Precisamos de um politicida para desinfetar o governo, salvar empresas e empregados, focar no progresso e alinhar-mo-nos aos países desenvolvidos.

 Até a próxima…

DOSES DE PRODUTIVIDADE

10/09/2015

DOSES DE PRODUTIVIDADE – XVI

Dispomos de diversas doses de produtividade empresarial, mas, com o atual ambiente político infectante fica difícil isolar empresas e cidadãos decentes dos males que vêm de fora.  A presidanta continua […]